home taekwondo haidong equipe projetos parceiros download eventos



O Dobok

Antes mesmo de começar o seu treinamento, o praticante depara-se com o Dobok. Aprende de seu Mestre a forma correta de usá-lo. O Dobok é uma vestimenta especial para o treinamento do corpo e da mente, no qual o espírito da Korea e a tradição milenar permanecem vivas. O Dobok é constituído de calça, blusa e faixa. O Dobok tem uma semelhança com as tradicionais roupas coreanas chamadas "hanbok", cuja origem é desconhecida. Há relatos que mostram o uso costumeiro do "hanbok" no período de Silla, Kaya e Koguryo.· Parece que o branco era a cor usada diariamente pelas pessoas do período Koguryo. E também que os tecidos das calças e blusas eram do mesmo tipo dos encontrados nas pinturas das paredes das tumbas dos três reis.
· Com relação a forma de se fazer um Dobok ele tem muita semelhança com a tradicional roupa coreana. Tem três tipos de formas: circular, quadrado e triangular. A cintura tem forma circular, a bainha das calças são quadradas, e os quadris, triangulares.
· A forma circular representa o Céu, o quadrado - a Terra, e o triangular, o Homem. Os três símbolos são a fundação do Universo, unindo e integrando-os em uma UNIDADE.
· De acordo com a teoria do Yin e Yang, a calça representa a Terra (Yin), a blusa representa o céu (Yang) e a faixa representa o próprio Homem.A cor branca simboliza a parte obscura do Universo. De acordo com a filosofia da tradição coreana, a origem do Universo é pronunciada como Han. Han dentro das cores, significa Branco. Na crença coreana, o branco representa a origem do universo.
As golas dos atuais Dobok's são em formato V. Diferem da tradicional vestimenta para diminuir o desconforto durante a prática do Taekwondo. Na graduação POOM, as golas são listadas em vermelho e preto, e para as graduações em DAN's, as golas são pretas.
Mantenha seu Dobok sempre limpo, e respeite o seu uso. Isso faz parte da filosofia da prática do Taekwondo

A Filosofia do Taekwondo

  O Taekwondo se desenvolveu junto com a filosofia oriental, principalmente com a influência das religiões e da cultura, como o Budismo e o Confucionismo. Tornando o Taekwondo uma milenar arte marcial, que necessita de uma profunda concentração mental para controlar os desejos carnais e exteriorizar as técnicas físicas.

O Confucionismo é a principal influência filosófica e ética na sociedade chinesa. As bases de sua filosofia social são: a piedade filial e o respeito à tradição, sendo a regra mais importante: “NÃO FAÇA AOS OUTROS O QUE NÃO QUERES QUE FAÇAM A TI”. Suas crenças foram formalizadas num sistema político e religioso durante a dinastia Han e seus livros se tornaram textos oficiais. Já o Budismo, teve o seu primeiro reconhecimento no século VII a.C., quando muitos tibetanos viajaram à Índia para trazer de lá textos traduzidos. A sua forma de desenvolvimento se deu através da combinação de pensamentos Maho-yama e Vijroyama. O Budismo deriva em grande parte dos ensinamentos de um único histórico: um príncipe indiano, que viveu no século VI a.C. e morreu com quase 80 anos de idade - seu nome era Sidarta Gantara, o Buda.

Os movimentos do Taekwondo, executados em cada uma das etapas de forma correta, concentrada e com determinação, resultam numa melhoria da filosofia moral e das ações do ser humano. Afinal, o objetivo de se praticá-lo é a formação de uma pessoa digna, de moral e de respeito, através do fortalecimento corporal.

O reconhecimento de nossa modalidade como esporte competitivo, a sua universalização, chefiada pelo General Choi Hong Hee, da ITF. A sua divulgação como modalidade esportiva, chefiada pelo Doutor Un Yong Kim da WTF, além da inclusão do Taekwondo nos Jogos Olímpicos na década de 80, aumentou consideravelmente a quantidade de praticantes em sua curta jornada histórica de 4 décadas da reconstituição do Taekwondo no mundo. É impressionante o seu crescimento se for comparado às outras artes marciais ou esportes de combate. Porém, é lamentável que não tenha havido um avanço no estudo com relação à sua qualidade em relação à parte teórica, a concentração mental e a filosófica, em vista da enorme quantidade de praticantes atualmente.

Se faltar a Filosofia em qualquer momento do aprendizado, o comportamento do aprendiz, aluno, será o mesmo que “Um balão no ar sem destino”. Este acompanhamento filosófico é essencial, pois ele é vital até mesmo na vida humana, no dia-a-dia; fato este que vem preocupando e despertando a nossa responsabilidade em transmitir conhecimentos para dispor desta realidade.



Filosofia Tradicional da Coréia e o Espírito do Taekwondo

O comportamento da mentalidade e do raciocínio dos antepassados coreanos mais primitivos, entre 4 a 5 mil anos, eram influenciados pelo extremo valor que davam às forças da natureza como: céu, chuva, nuvem, sol, lua, árvores, rochas, entre outras, tornando-se um verdadeiro louvor a estes elementos, a base do pensamento sábio e da filosofia. Na época da existência dos 3 reinos, até o século 10, a introdução do Budismo intensificou a Filosofia na prática, como foi o caso do Grupo “Hwarang-Do”, praticantes do “Tae kyon”, atual Taekwondo; uma rica cultura espiritual de amor à pátria.

Logo após a unificação dos reinos, surgiu um país que recebeu primeiramente o nome de “Korio” (Coréia), entre os anos de 918 a 1392, época em que ocorreu uma mistura de veneração à natureza, ideologia do Confucionismo, tendo como principal religião do povo o Budismo. Aqui, as pessoas por herança valorizavam o ser humano com reputação digna e alta moral, baseada na lealdade, respeito e justiça.

Em seguida, veio o reino “Chosen” (mudança de nome feita pelo rei Lee, Syung Gue) que durou 500 anos. Nessa época a dignidade e a moral do povo coreano chegou ao seu mais alto nível.

Após a colonização dos japoneses (1910-1945), o General Choi reorganiza o “Tae kyon” e as demais escolas de lutas antigas, unificando-as e dando-lhe o nome de Taekwondo. Composto este dos seguintes espíritos: Cortesia, Integridade, Perseverança, Domínio sobre si mesmo e Espírito indomável. Só poderia ser chamada de pessoa digna, aquele que conseguisse alcançar um dos 5 códigos citados.


Sentido Filosófico

A palavra “DO” tem sentido de caminho, estrada, verdade, sinceridade e honestidade, quando utilizada na arte marcial; como no caso do “Taekwondo”, o “DO” simboliza o caminho filosófico.
Taekwondo era o subconsciente na parte da defesa pessoal como máxima concepção do “DO”. Porém, atualmente a luta de combate é essencial. A sua realização no sentido filosófico a transforma naturalmente de defesa pessoal (cada vez menos usada na sociedade) a luta de competição.
Alguns itens que possibilitam alcance filosófico no Taekwondo são:
- Quando atinge a sua meta nas técnicas desejadas;
- Transmitir com perfeição a teoria na prática;
- O processo de treinamento conjugado com a dedicação e apresentado em uma bela arte de luta;
- Quando sente a satisfação e confiança, encontradas emocional e fisicamente com o estado de auge;
- Perceber o processo de mudança na melhoria de si e avanço moral através do confronto corporal e psicológico, repartindo o perigo de adquirir lesões e pancadas;
- O aperfeiçoamento técnico e psicológico resulta na compreensão do valor máximo da vida humana, a sabedoria.

Através da prática do Taekwondo é possível ultrapassar a si mesmo; assim o homem acaba por reconhecer de que pode dominar-se e superar-se com a comoção sentimental de prosperidade ou fracasso.

A cada dia que passa com os treinos de dedicação, o atleta percebe a evolução técnica de combate comparada a outras composições do Taekwondo, como “Kibon Donjak”, o “Poomse” e o “Ho shin sul”; isso apresenta racionalização e especialização da técnica com o objetivo da simples vitória na luta. O forte espírito da prática da luta desenvolve os músculos e o cérebro, acabando por despertar o desejo de viver bem e com saúde. Logo a seguir, transforma o caráter do individuo, dando-lhe um espírito forte que permite evoluir a capacidade do ser humano em todos os seus atos.

Portanto, o Taekwondo é a base do sentido filosófico dos seus praticantes, onde a força da combinação das atividades intelectuais com as físicas torna uma pessoa em um ser humano justo e familiar, humilde, determinado e de moral elevada na sociedade, nação e com senso de humanidade.



A IMPORTÂNCIA DO TAEKWONDO PARA AS CRIANÇAS

Para satisfazer os mais diferentes objetivos, a academia de Taekwondo tem se transformado em um importante espaço de vivência e convivência através da realização de atividades corporais. Nesta perspectiva, este tipo de esporte busca redimensionar (minimizar) o apelo competitivo, procurando desenvolver o auto-conhecimento através da consciência e autonomia corporal.
A grande importância do período infantil pode ser destacada pela fase em que se iniciam as relações interpessoais e interambientais, portanto, quanto mais rico for o ambiente, melhores possibilidades de desenvolvimento pessoal poderão ocorrer. E, dependendo da época do amadurecimento biológico, melhor ou pior, poderá ser o entendimento da criança em relação ao estímulo. Pois para os diferentes momentos da vida, o nível de amadurecimento dos sistemas corporais também possui diferentes ritmos.
Torna-se quase unânime a associação que a sociedade faz entre esporte e saúde, vinculando a esse o desenvolvimento de tantos outros aspectos relativos à formação do ser humano integral. Acredita-se ainda que tal atributo é propaganda, onde através do esporte consolida-se na criança a obediência às regras.
Dentre os mais importantes papéis deste esporte, esse rico espaço para o encontro humano tem condições de estar abordando com um outro enfoque a cultura corporal. E é nesse enfoque que poderão se obter melhores condições e oportunidades de oferecer aos que praticam inúmeras formas de se trabalhar o corpo, tanto físico como emocional-mente, de um modo mais leve, mais espontâneo, mais criativo.
Nessas manifestações o homem se coloca de maneiras mais espontânea  frente às atividades e desenvolve aspectos referentes à sua auto-confiança e auto-conhecimento, uma vez que se encontra desprovido de tantas exigências que a sociedade lhe impõe.
Um dos espaços possíveis que possibilitem o ser humano a vivenciar através das lutas marciais é a relação com as pessoas das quais depende para a satisfação das suas necessidades vitais e emocionais. O simbolismo possibilita às crianças transferir não apenas interesse, mas também fantasias, sentimentos, suas ansiedades e suas experiências.
Não se deve, pois, absolutizar as possibilidades através das lutas marciais em termos de uma educação emocional, mas, tampouco, se pode  menosprezar suas surpreendentes possibilidades, especialmente em crianças na primeira e na segunda infância.
As aptidões emocionais são a base para a aprendizagem. Avaliá-los bem e orienta-los é a maior preocupação no contexto filosófico do Taekwondo, dos que se voltam para a educação emocional do ser humano como um todo.
Aprender é o foco básico para se avaliar a capacidade da criança e do jovem para sentir-se bem na escola e ter um bom rendimento. A educação emocional do ponto de vista das lutas marciais segue os mesmos preceitos, observando algumas delas que são:
-Confiança: o curso do controle e domínio do próprio corpo, o senso de que os adultos pais e professores são confiáveis e podem ajudar.
-Curiosidade: o senso de que descobrir o caráter lúdico e positivo e do prazer.
-Intencionalidade: o senso da competência implica a capacidade persistente de buscar seus objetivos no quadro do que a academia propicia.
-Auto-controle: dentro dos padrões da idade, que é ainda imediatista e concreta, a criança tem condições de adiar satisfações e controlar as próprias ações.
-Relacionamento: a capacidade de fazer amigos e aceitar parcerias. Entender os outros, ser entendido e aceito.
-Capacidade de comunicação: desejar e não ter ansiedade exagerada ante o outro e ante as tarefas, a dimensão prazerosa que se relaciona com a capacidade de fazer amigos.
-Cooperação: observar no outro a parceria e a entrada no jogo social de maneira pessoal e produtiva.
Enfim, um professor que consegue estabelecer com seus alunos um clima com estas características, logrará êxito em relação aos seus alunos.

 

História do Taekwondo

Nos tempos primitivos, não importa onde vivessem, os homens tinham que desenvolver técnicas pessoais de luta para obterem o alimento e se defenderem contra inimigos, inclusive animais selvagens.  Tinham, também, que inventar armas, de forma a tornar efetiva a defesa e facilitar a subsistência.
Mesmo após a invenção das armas, contudo, o Homem nunca deixou de promover o desenvolvimento do corpo e da mente, através da prática de diversas modalidades esportivas ou marciais.
O Taekwon-do (pronuncia-se "tê-quan-dô"), cuja tradução significa "a arte de usar os pés e as mãos na luta", é considerada por alguns pesquisadores a mais  antiga das artes marciais, tendo surgido na Coréia há cerca de 1.300 anos, sendo originário do aprimoramento de várias lutas antigas praticadas nos reinos coreanos, como o SOO BAK, SO BAK HEE, TAE KYON, e outras.  Em 670 A.D., a Coréia era dividida por três reinos:  KOGURYO, BAEK-JE e SILLA.  O reino de SILLA, era o menor dos três reinos coreanos e sofria constantes invasões e saques dos seus vizinhos maiores KOGURYO e BAEK-JE.  Então, um grupo de jovens aristocratas e militares reuniram-se, e formaram uma tropa para defender-se dos invasores do reino, que foi chamada de HWA RANG-DO (similar aos samurais, no Japão, e aos cavaleiros andantes da Idade Média, no Ocidente).  
Seu código de honra era constituído de 5 ítens:
Obediência ao Rei
Respeito aos Pais
Lealdade para com os amigos
Nunca recuar ante o inimigo
Só matar quando não houver alternativa .
Essa tropa em complemento ao treinamento com Arco e Flecha, Lanças e Espada, acrescentou ainda o uso dos pés e das mãos como forma de lutar (Soo-Bak e outras), como também a prática da disciplina Mental e Física.  Assim fortaleceram a força e a capacidade de cada lutador, tornando-os quase invencíveis.  Com a adoção da força Física aliada a força Mental, o reino de SILLA conseguiu unificar os demais reinos, surgindo desta união de terras o que conhecemos hoje por CORÉIA.
E o Taekwon-do nasceu oficialmente naquele ano, na cidade de Surabul (pronuncia-se "Soroból"), com o nome de TAE KYON ("chutar pulando"), embora há alguns historiadores que consideram sua origem ainda mais antiga, pois o Taekwon-do foi o aprimoramento de várias formas de lutas, as quais encontram-se referências na dinastia de Koguryu, ano 3 A.C.
Devido a organização e disciplina deste grupo ( Hwarang-do, que significa "o caminho do irmão maior"), o pequeno reino de Silla, conheceu sucessivas vitórias e conseguiu a unificação dos três reinos, que por volta do ano 935 D.C., transformou-se no reino de KORYO, que foi traduzido para o português como Coréia, apesar da denominação atual ser Han-Guk, para os coreanos.
Porém, com o passar do tempo, as dinastias que se seguiram passaram a adotar uma postura anti-militar, o que vem a marcar o início de um período de cultura civil que quase culminou com o fim das artes marciais na Península Coreana.
No ano de 1909 o quadro agravou-se ainda mais com a ocupação japonesa, que proibia a prática do Tae Kyon além de outras artes, que passaram a ser praticadas secretamente.
Após a libertação da Coréia, em 1945 (rendição do Japão 2ª Guerra Mundial), e com a formação da nova República Coreana e a reorganização de suas Forças Armadas (1946), um jovem Segundo Tenente chamado CHOI HONG HI, recentemente solto de um campo de prisão japonês, começou a ensinar artes marciais para alguns de seus soldados. 
Os anos de pesquisa e desenvolvimento do então General Choi Hong Hi, resultaram no estilo CHANG HUM (seu pseudônimo).  Apesar de baseado principalmente nas técnicas de Soo-Bak, Taekyon e Karate japonês, muitas técnicas foram adicionadas, especialmente a variedade das técnicas de mão e a perfeição das técnicas de pé.
O desenvolvimento do Taekyon foi tão rápido, que cada mestre aprimorava seu próprio estilo, e com isso tivemos a aparição de oito estilos distintos, citados aqui com seus respectivos fundadores:

           CHUNG DO KWAN      -  Won Kook Lee, em 1945
           MOO DUK KWAN        -  Hwang Kee, em 1945
           YUN MOO KWAN         -  Sup Chun Sang, em 1945
           CHANG MOO KWAN   -  In Yoon Byung, em 1946
           CHI DO KWAN              -  Yon Kue Pyang, em 1946
           SUNG MOO KWAN      -  Byung Chik Ro, em 1952-54
            OH DO KWAN               -  Nam Tae Hi e Choi Hong Hi, em 1953-54
           JI DO KWAN                 -  Hi Gae Byang Yun, em 1953-54

           Em 11 de abril de 1955 (durante a Guerra da Coréia), uma junta de instrutores, historiadores e outras personalidades proeminentes liderados pelo General Choi, conseguiu unificar as várias escolas existentes denominando com o nome de TAE SOO DO para esse esporte, e logo a seguir adotando em definitivo o nome TAEKWON-DO ( TAE = A arte de bater ou chutar com os pés; KWON = A arte de usar as mãos ou punho; DO = caminho - filosoficamente ), como o nome da nova arte marcial coreana.
A combinação das técnicas tradicionais e novas modificações como a perfeição das técnicas de pé, resultaram em uma forma de auto-defesa e condicionamento físico e mental incomparável no mundo moderno. 
Em 1962 o governo coreano decretou a prática obrigatória nas aulas de Educação Física a partir do primário, período em que já se dispensava muitos esforços e energias para que esta arte tivesse um suporte técnico-científico.
Em 1965, criou-se a Korea Taekwon-do Association e, dois anos mais tarde, fundou-se, na Coréia, a International Taekwon-do Federation (I.T.F.), que começou a formar turmas de instrutores internacionais e enviá-los a todos os países do mundo para difundir a arte.
Em julho de 1970, foi enviado ao Brasil pelo presidente da Federação Internacional de TKD, general Choi Hong Hi, o grão mestre SANG MIN CHO, com a missão de difundir e implantar na América do Sul o TAEKWONDO, a Arte Marcial Coreana.
           Cumprindo a missão a ele confiada o mestre Sang Min Cho, fundou a primeira academia para a prática de TAEKWONDO no Brasil, em 08 de agosto de 1970, a atual Academia Liberdade, no bairro da Liberdade, em São Paulo.  A sua fundação deu-se frente a diversas dificuldades, as principais foram o idioma português, a forma verbal da comunicação, e os hábitos e costumes do povo brasileiro.
           Entretanto, as dificuldades foram sendo superadas num tempo muito mais rápido que o previsto inicialmente, talvez, por ter sido este esporte muito bem aceito pelo povo brasileiro.
           Logo após a chegada do primeiro grão mestre ao Brasil, outros mestres das elites coreanas vieram para difundir e ensinar o TAEKWONDO para o povo brasileiro:  WOO JAE LEE (Rio de Janeiro), CHANG SEUN LIM (Minas Gerais), JUNG DO LIM (Bahia), SOON MYONG CHOI (Distrito Federal), JU YOL OH (Pernambuco), TE BO LEE (Rio Grande do Sul), HONG SOON KANG (Paraná) e SUNG JANG HONG (Espírito Santo).
Em 1971 o presidente da República da Coréia oficializa o Taekwondo como esporte nacional, e no dia 25 de janeiro deste mesmo ano, é eleito, o Mestre Un Yong Kim, como presidente da Korea Taekwon-do Association, e em 19 de novembro dá-se o início da construção do Centro Internacional de Taekwon-do,  KUKKIWON, localizado no distrito de Yong Dong, Seoul (atual capital da República da Coréia do Sul), que é inaugurado no dia 30 de novembro de 1972.
           Enquanto isso, aqui no Brasil, o Grão Mestre Woo Jae Lee introduz o Taekwondo no Rio de Janeiro em março de 1972, na Escola Americana, e um ano após sua chegada, em 19 de janeiro de 1973, este promove a 1ª Competição de Taekwondo em nosso País - Campeonato Carioca.  No mesmo ano, em julho, realiza-se em São Paulo, o 1º Campeonato Brasileiro de Taekwondo (no Ginásio do Pacaembu).
           Ainda em 1973, devido a um desentendimento político envolvendo o general Choi Hong Hi e o Sr. Un Yong Kim, a sede da International Taekwon-do Federation é transferida, pelo general Choi, para Toronto, Canadá, e com isso, no dia 28 de maio, fundou-se na Coréia, a The World Taekwon-do Federation (W.T.F.), presidida pelo Dr. Un-Yong Kim, com a finalidade de reorganizar a arte e buscar seu reconhecimento mundial.   
Devido ao sucesso no Brasil, é criado um departamento especial de TAEKWONDO na Confederação Brasileira de Pugilismo em 1974, reconhecendo o Taekwondo como esporte brasileiro pelo Conselho Nacional de Desportos (C.N.D).
No ano de 1975, realizou-se, no Estádio Kukkiwon, uma Assembléia Geral da W.T.F., onde foram estabelecidos novos rumos para o Taekwon-do, que entre outros, foi a unificação dos estilos em um único, o Kukkiwon.
A partir deste, o Taekwon-do foi crescendo no mundo todo, tendo sido realizado vários campeonatos mundiais com o intuito inicial de divulgar a arte, e aqui no Brasil, no dia 21 de fevereiro de 1987, o Taekwon-do obteve a aprovação do Conselho Nacional de Desportos com a homologação estatutária da Associação Brasileira de Taekwon-do (A.B.T.), e sua vinculação ao Comitê Olímpico Brasileiro (C.O.B.).
No dia 6 de dezembro de 1990, com a reforma estatutária da A.B.T. passa para Confederação Brasileira de Taekwondo (C.B.T.K.D.), presidida pelo Grão-mestre Yong Min Kim, 9º Dan.         
           Com o intuito de difundir ainda mais o desporto a nível internacional foram criadas competições de TAEKWONDO, tais como, Campeonato Mundial, Copa do Mundo, Campeonato Pan Americano, Campeonato Sul Americano.  Em 1980, o Taekwondo torna-se modalidade oficial de competição do Comitê Olímpico Internacional, sendo incluído nos  Jogos Pan Americanos e Jogos Sul Americanos, e devido a grande divulgação e sucesso desta arte, mais recentemente, após participar como modalidade demonstrativa nos Jogos Olímpicos de Seul (1988) e Barcelona (1992), o TAEKWONDO também foi incluído como modalidade oficial dos Jogos Olímpicos, a partir do ano 2000.



Espírito do Taekwondo

Cortesia:Este princípio diz respeito à relação do praticante com os outros, sejam eles praticantes ou não. Na relação com seus colegas, o praticante deve ser educado e justo, sempre procurando a ajuda mútua e deve sentir-se envergonhado quando agir com desprezo para com o próximo. Quanto à hierarquia, deve estar sempre ciente quanto a quem é superior em graduação, instrutor e mestre.

Integridade:Ter integridade é não apenas a noção entre o certo e o errado, mas ter consciência disto. Um bom exemplo de falta de integridade é o aluno que pede a graduação para o professor ou que tenta comprá-la, ou ainda, o aluno ou professor que deseja obter a sua graduação com o único sentimento de poder sobre os outros praticantes.

Perseverança:Lutar pelo que deseja, esta é a característica dos vencedores. Para vencermos os desafios por mais difíceis que este no pareçam é necessário que tenhamos muita perseverança. Sem dúvida as vitórias mais gratificantes são aquelas conquistadas com grande esforço. Por isto não desanime quando os problemas lhe parecerem insolúveis, pois a paciência lhe dará o tempo necessário para encontrar as soluções.

Auto Controle:A essência de todas as artes marciais reside neste ensinamento. Vencer não é subjugar os outros, mas vencer a si mesmo. Em qualquer situação da vida em que nos encontremos acuados ou sob demasiada pressão, é imprescindível que tenhamos o domínio da situação, e para que isto aconteça temos que antes de tudo dominar nossos temores. Este domínio nos dará a tranqüilidade necessária para podermos controlar esta situação.

Espírito Indomável:Quando deparamos com uma situação injusta, não devemos hesitar em enfrentar a quem quer que seja. Assim como quando estivermos lutando por nossos justos objetivos, lutarmos com tenacidade, sem hesitação. Este é o ESPÍRITO INDOMÁVEL.



fonte:  Fonte: Gms Sin Hwa Lee./ Ass.Jaguar TKD


                                             
IMPLANTE O TAEKWONDO OU  HAIDONG GUMDO NA SUA ACADEMIA , CONDOMÍNIO ,ESCOLA  OU PROJETO ENTRE EM CONTATO: TKDYONGAP@BOL.COM.BR